12 de junho de 2009

Tão simples...



Eles não entenderiam
É mais do que poderíamos explicar
Somos crianças em busca de um tesouro imaginário
Encontramos pistas em nós mesmos
Pintamos sorrisos, abraços e beijos
Borramos o papel com lágrimas
Desenhamos corações em forma de balões
Estamos partindo em busca do nosso castelo
Somos crianças
Brincamos de areia, construímos o que queremos
A alma é pura, somos anjos de alguém
Rezamos sem saber rezar
Chamamos atenção por querer
Seguimos juntos e separados
Somos crianças, desabrochando em novos ares
Estes desvios desviam os nossos olhares para mais além
E somos completos em nossas ilusões
Inteiros em nossas quedas
Metade da nossa inocência emprestamos sem questionar
Estamos livres de zelos
Estamos presos de amor
Somos crianças ciumentas, birrentas
Encantamos as pessoas com os nossos riscos desalinhados
Estamos crescendo
Mudando nossos retratos, pintando novas formas, novas emoções
Nossa vida é poesia
Somos amizade,
Sem cobrança, sem arreios
Somos nós
E ainda somos crianças!!!

Eles não entenderiam
É tão simples
Mais do que poderíamos explicar...


by Val Costa Pinho

Para os meus amigos