26 de junho de 2009

Proteja-me

Leio o que dizem
Dizem tanta coisa
Quanto drama, quanta mentira

Encostada numa parede de bronze
Tento permanecer
Está frio então estou protegida
A luz se esconde detrás do muro, ainda não chega aos meus pés
Daqui não sei aonde ir

Os meus pés começam a se esconder de mim
Se eu pudesse ouvi-los
Caminhar em Tua direção

Agora o sol começa a queimar
O bronze não é forte
Algo bate forte e me leva ao chão

Essas mentiras jogadas ao vento estão a subordinar o meu ser
Emolduram a minha pureza
Quanta história estranha
Quanta dor ao redor
Corro em Tua direção
As portas estão fechadas

Não consigo entender o que dizem
Não associo ao que fazem

Quanta hipocrisia
O fizeram atributo
Eu já nem sei onde estou
Tento não me perder
E se falo "Meu Deus o que foi isso?
Alguma palavra saiu daqui?"
... Seguramente seu sentido correu de mim
Os donos do mundo a deturparam

Um momento apenas
Venha e simplesmente me abrace
Proteja-me
Deixe-me com o que tenho de mais verdadeiro:
A imagem de Você que eu criei para mim...


by Val Costa Pinho