16 de julho de 2009

Mais uma noite

Nos bares da vida
Meu olhar distante confunde alguém ao lado
É somente um olhar oferecido ao nada que alcançou o meu profundo ser naquele instante
Um olhar não destinado, paralisado procurando alento
Perdão meu caro,
Não é você,
Não é ninguém,
Nem é aqui
Fora um momento de distração em meus olhos

Nos bares da vida
Um sorriso é lançado perturbando alguém ao lado
Um infeliz engano meu caro, não estou a flertar com um desconhecido sentado na mesa ao lado
Foi apenas uma lembrança distante que alcançou a minha mente já atordoada com goles de álcool acima do permitido

Nos bares da vida
Meus movimentos delicados absorvem um olhar afoito
Eu apenas estou a me situar na cadeira fria devido ao horário já ultrapassado
Desculpas eu peço, não estou tentando me insinuar.
É só um disfarce para medir o equilíbrio
Já passa da meia noite, é hora de ir embora

Não vejo escolhas
Não é você
Não é ninguém
Nem é aqui

Mais uma noite, mais uma noite!

by Val Costa Pinho

Marcas


Os livraram dos grilhões aos seus olhos
Deixaram livres as suas mãos

Adentramos o presente
E os grilhões os pesam na alma

Separados por irmãos entretons
Escondem nos recônditos do seu eu mais profundo
A dor de sofrer por semelhantes que se fazem diferentes...


by Val Costa Pinho

2 de julho de 2009

Amizade


Eu não sei muito da vida
O pouco me segura por aqui
E eu caio todos os dias um pouco
E a cada volta sei que acabo conhecendo um pouco mais
Nada que dói tanto ali dói na mesma medida por aqui
Algo me protege, me sustem

Eu não sei muito...
Você me acolhe nesse caos que é a minha mente
Você alimenta o que considero ser amor
Aprecio todos os teus erros e sei a hora certa de agir
Não me vejo lá fora sem você
E assim, cuidarei de você mesmo sem obrigação

Sem fazer distinção de nada à minha volta
Saberá que não existe disputa entre o diamante e o ouro de tolo
Não sou vendedor, não negocio vidas
Estou aqui por você
Terás, em demasia, o melhor de mim

Quando sentir frio, eu, mesmo longe, estarei correndo atrás de uma chama para lhe aquecer
Nada que disser será ofensa
Nada que chorar será vertido sem apreço
Tudo será bem vindo
Cada gesto de frieza será convertido em milésimos
Os milésimos me farão esquecer a indiferença
Os meus ouvidos serão conduzidos para os teus desejos me reportando para a gratidão

Eu jamais esqueço os sorrisos compartilhados
O colo doado
O abraço sorvido
A voz lenta emitindo palavras de agrado para tentar aliviar a minha dor
A falta de paciência contida num gesto atrapalhado de quem ama de forma simples

Eu não sei muito...
Na vida me encontro desvairada
A certeza dessa amizade me faz lúcida
O alcance dessa lucidez me traz a certeza que
Do pouco que ainda conheço da vida você é parte integral de mim.

by Val Costa Pinho

Sem Promessas


O teu silêncio
O silêncio em teu olhar
O teu olhar
Um lugar para ser livre
Livre dos porquês

Estamos aqui
Um imã fitando os nossos corpos
Passamos por nossa primeira vontade
Dois prazeres solitários se furtando
Sendo devotos do presente

Aqui, agora
Temos de sobra o que nos falta...
E falta tanto assim do que pensamos ter

Nossas vozes são lançadas ao entendimento de nossos corpos
Não há o que temer
O que se vai se repete depois
E nos mata de prazer
E como gostamos de morrer...

Um novo silêncio
É hora de partir
Nada fica sem ter sido semeado
Nada que vai é assim tão esperado
Este gozo é desejado
Não há culpa onde se encontra prazer

Sem promessas
Sigamos sem máscaras até um próximo dueto...

By Val Costa Pinho

1 de julho de 2009

Você merece o melhor

Injete na veia um pouco de loucura
Dessas que o fazem aspirar por um ar que não veio ainda
Dessas que o fazem sorrir de uma piada que nem ouviu ainda
É o seu último momento, é sua chance de ser um pouco ‘’normal’’

Injete na veia um pouco de emoção que não vem de você
Preste atenção aos sinais que vem de muito próximo
É a intenção de sua vida
Estão chamando por você
Não há o que temer

Injete sustos e olhe para trás temendo algo que não temia
Temer é fundamental
Seja um pouco bobo
Curve-se à bobagem
Escute os sons que vem daí ou daqui
Mas pare um pouco de ser esse ‘’você’’

Injete carisma na veia
Faça-se um bem, esteja com outros mais ou menos que você
E seja igual
Saia em busca,
Perca-se,
E que não haja preocupação em saber voltar
Alguém certamente o encontrará
Caia, envergonhe-se... Levante, caia novamente e sorria
Releve sempre, isso aqui passa... Vai passar
Já passou

Injete sonhos em sua veia, deixe que cheguem ao seu coração
Sonhe, flutue
Se alguém achar que a fantasia é demais
Fantasie o que está ouvindo
O mundo está aí, sim está
Mas não precisa seguir um manual
Fabrique o seu próprio manual,
Se não der certo,
Copie e cole o que achar interessante

Você não precisa passar por cima de ninguém
Você logo estará muito abaixo do que imagina

Injete na veia uma dose exagerada de infância
Brinque, corra, se esconda...
Se não o satisfaz
Acrescente o que quiser
A vida é toda sua
Sempre haverá um guia em nosso caminho
Se quiser, siga-o ou passe adiante, ele servirá para alguém

Injete na veia amor próprio
É forte, mas você consegue
Não tenha medo de se viciar
A prioridade dada a si mesmo lhe fará um bem incrível
Seja dependente desse amor
Quer sair, saia
Quer ficar, fique
O que é bom para o outro? É bom para você?
Arrisque-se,
Você merece o melhor

Injete humildade em suas veias
Talvez você fique um pouco debilitado
Talvez fique um pouco só
Assim perceberá como as coisas eram supérfluas a ponto de estar só

Não esqueça
Você não precisa de objetos pontiagudos para tal fazer
Use o pensar
Treine-o
Se achar que tudo é uma ilusão
Volte ao ponto de partida e siga outros dizeres
Você merece o melhor
Sempre...

by Val Costa Pinho