1 de agosto de 2009

RECORTES NO ALVORECER


De mãos dadas com a inocência
Gotas de pureza caíam sobre si
Julgava o mundo seu lar
Dentro de si estava o sono de criança
Um urso invernara ali dentro
Não haveria de acordar

De mãos dadas com a vida
O primeiro beijo
O olhar desconfiado
O travesseiro abafado
Um pecado “anão” de fase passageira
Um medo ingênuo em metamorfose

De mãos dadas com a dor
As lágrimas em desalinho
O ódio mirando o tempo
As ilusões sendo entendidas
A distância sendo alcançada

De mãos dadas com a solidão
Um momento para pensar
Um desabrochar
A porta aberta sempre à espera de algo
As descobertas mal e bem vindas

De mãos dadas com o presente
Tenta segurar-se a inocência,
Buscando respostas da vida para aliviar suas dores
Deixando que a solidão se afaste lentamente de suas mãos

Mãos abertas para um novo ser que surge a cada imagem do seu álbum

by Val Costa Pinho