26 de fevereiro de 2010

Lacunas


Um observar que não é meu
Rodeia as minhas palavras contidas
Observa o véu que delicadamente encobre o meu rosto
De surpresa, se aproxima com interrogações
Atenta a minha reação

As palavras retornam inseguras
Incompletude
Ignora quem sou eu ou quem és tu
Então me dobra palavra solta

Traços e pontos abusam de mim,
Desejos se apresentam nas entrelinhas
Entre nós, tudo está suspenso
O véu, em meu rosto fica
Resguarda o que penso não conhecer
Até o próximo encontro...

by Val Costa Pinho