30 de junho de 2010

Abrigo


O meu mais querido lugar
Lugar de minhas respostas
Onde o meu Deus habita
Os meus demônios pousam

As minhas lágrimas brotam como gotas de orvalho
Posso desenhar tempestades
Escrever ao som dos trovões
Alegrar-me com o sorriso dos lampejos

A minha paz se inventa em meio às minhas aflições
Posso inventar novas histórias
Consentir com candura o que não adiro

Meu silêncio
O meu mais querido lugar

A melhor das minhas glórias
A cura da minha não-adaptação
A qualquer coisa
Não há perdas

É minha unção passageira
Sem predicados
O meu conforto
A minha proteção

by Val Costa Pinho