24 de setembro de 2010

CONSTÂNCIA E O PERFUME DO SOFRER



Hoje,
Eu queria ludibriar os meus pensamentos a falar de flores
Seus cheiros e suas cores
Propor um pacto irreal com o tempo presente
Mas as curvas das folhas secas unidas ao chão
Retorcidas e amarelecidas,
Avivam sentidos avulsos, deslembrados, até então, em mim

É o valor consciente, indefinido, apaixonado pelos resquícios ignorados
São aqueles não contemplados, ressequidos e solitários
Unidos pela falta de aromas primaveris,
Que os meus olhos estão a seguir

Então esqueçam as orquídeas, rosas e lírios
E tantas outras que possam sorrir ao vê-los passar
Esperem a colheita dos seus corpos esmorecidos
Quando não mais a luz se fizer par

Ou se deixem ludibriar
Buscando perfumar o consciente
Contagiando o fosco inanimado que os dominam
Deleitando-se do “doce engano” que a vida proporciona
Em cada escolha
Em cada estação

by Val Costa Pinho

7 de setembro de 2010

O amor da minha vida atual


O amor da minha vida atual
É delirante,
Seus sonhos flutuam numa esfera que só os seus olhos podem mirar
Pequenas velas acesas iluminam as fendas de sua mente
E nem mil luzes de neon podem explicar
A gaita de fole que toca um pedaço de música donzela
Alegra o tiquinho de juízo que insiste em ficar
A leveza de sua companhia em dias de contenda
E o desejo de desejar é tudo que lhe basta
É o presente a pintar
Imagens de abraços polidos em braços do travesseiro amigo a esperar
Até a última hora de um sono que nem quer chegar
É a irretocável figura do espelho que reflete o amor verdadeiro de sua própria face, a lhe confortar.

by Val Costa Pinho

6 de setembro de 2010

Meu merecimento passageiro...

Foi você
A me deter
Naquele instante de escuridão
Onde desejei me perder

Você
Uma única luz
Uma única vez
Meu pretérito mais-que-perfeito
Conjugação dos meus desejos

Estas saudades acidentais,
É você
Teimosa aparição
Enjaulada dentro de uma tonta vontade
Mordaz, viciosa
Pulsante

Estes sinais que não alcanço
Também é você
Meu merecimento passageiro
Realidade distante
Que me acerta
Ensinando-me a caminhar
Fora dos meus anseios

by Val Costa Pinho