29 de dezembro de 2010

... parece amor



Você nasce dos meus chamados 
Do amém sagrado de cada dia
Daqueles desejos que apertam o imaginário
Fazendo refletir múltiplos cenários
Nos quais há sempre um encontro entre o meu desejo e a minha verdade 
O qual se resume em Você




Se há razão, eu a encontro quando me basta
Ela se refaz em Você
A razão que me cala o ego ferino
A razão que desafina o tom das palavras ditas bem depressa para não perder
Os versos do seu sorriso a casar com a melodia refletida dos seus olhos
A canção a me ninar
Pretexto a ganhar o seu colo
O meu céu sossegador

Bendita seja essa lembrança
Que mais parece amor

By Val Costa Pinho