20 de março de 2011

"Cocci"




Cocci, tua cabeça menina
Pequena inconsciente
Corpo, cor de coração
Diante à mão
De quem a segura
É criatura ingênua

Tua beleza miúda
Teus olhos que ninguém ver
Chora junto ao orvalho
Diante os passos de longos dias
É fé que há de ter?

Cocci, teus pontos pretinhos belos
Pintam tua singela feição
À palma da mão do mundo
Trilha as linhas do destino
Em silêncio
Vai ditando a sua missão

Faz valer o seu tamanho
E condição de pequenino ser
Buscando na vida que lhe segura
As possíveis formas de viver!

by Val Costa Pinho