26 de outubro de 2011

Uma saudade...


Escutando o som que vem do fundo, por trás da voz da artista
Eu viajo por trás dos meus pensamentos
Então tento sentir o que vem antes de poder significar

Um caminho com gravetos amarelados do sol?
Um vento com cheiro de tempo que já passou tempo demais?

É,
Hoje os pingos de lágrimas beirando os meus olhos, são de saudade

Fazendo sombra a dor que nasce assim do nada
Me vem o sorriso sorrateiro
O piano que faz companhia a artista, começa a assoprar imagens vivas
Uma sutileza que já começa a machucar
Então tento achar sentido sem me achar nele

Saudade é coisa estranha
Traz você por todas as direções
Você que já não é mais ninguém e, ainda assim, consegue ser tantos em um só
A leitura de todos os dias, a qual eu nunca saberei onde se dará o final

Saudade,
Dos vários artistas que fizeram parte de minha vida
Da minha infância, meus amigos que nunca iriam se afastar
Da minha preta e o seu latido sem igual
Do meu Oz, que não era da Alice, nem era mágico, mas sabia me encantar

Saudade,
Dos dias em que o tempo chegava sem pressa de ir embora
Das borboletas do campinho
Do topo das árvores
Das frutas no chão
Das quedas sem traumas

É,
Isso é apenas uma saudade que nasce assim por trás de algum lugar e insiste em ficar,
Assim como esse piano
Que encontrei lá no fundo por trás da voz da artista
Só pra poder me acompanhar...

By Val Costa Pinho