13 de novembro de 2011

Até o fim...


Olha lá a minha ternura raiando
Em dias de relampejo
Meu medo, faceiro se vai

Aquilo envolta dela é sorriso?
Viso, aviso?
Seja lá o que for isso,
É coisa linda de Deus

A sua vinda
É uma bem-aventurança
Desses dias de rara esperança
Que a vida a mim,
Veio mimosear

Olha que lá,
Já se torna perto
E decerto por nem um decreto
Hei de lhe deixar

 Esse de repente
Que acertou o destino da gente
É um presente dos dias de festa
Que nós até o fim de nós, iremos brindar! 


by Val Costa Pinho