6 de fevereiro de 2012

Fé nas estrelas


Em cada estrela que vi atravessar o céu
Caindo nalgum lugar, onde meus olhos não podiam alcançar, 
Eu via o seu semblante
Uma virgem feição
Expressão ainda nua em minha mente

Muito medo eu senti, caindo nalgum lugar
E, sem estrelas a me visitar
A solidão decidiu me guiar

Sem eira nem beira
Num dia de desamor
O desejo partiu
Ocultou em mim
A fé de um dia encontrar
A imagem viva,
Feita de todos os traços
Desenhados por mim
E lançados ao céu
Desesperadamente, em cada olhar

Quantas efígies eu toquei
Vazias, foscas
“Asteróides” que decerto
Ao devastar o meu mundo
Fizeram-me voltar nalgum lugar
Lugar das pequenas pedras encontradas em meu caminho
Que eu ajuntava, acrescendo um monte
Pra chegar a você

Ali sentada no pequeno pedregulho
Em encontro com o nada
A estrela maior se pôs
A boca da noite se abriu
Atravessando o céu, uma luz descambou do meu lado
Era você
Imensamente maior do que desejei

Hoje, percebo que o tempo passado caindo nalgum lugar
Foi o tempo em que a minha estrela, estava sendo esculpida
Lá, exatamente, onde meus olhos não podiam alcançar...

by Val Costa Pinho