30 de agosto de 2012

Mentira



Na coroa, doce
Na cara, foice

No olhar, esconderijo
Foge como fosse
Das veias até a raiz

Se não há corte
Há reprodução

Nasce em Maria
Nasce em João

É delicada pra matar a fome
No poder é escancarada e ultrajante
Gás carbonizante

É petulante quando contribuinte
Dos pecados endiabrados
Dos alienados

É viril, maliciadora
É veneno e quando sem mando
É morte
É sorte
Do hospedeiro, é o norte

Expressão em ação que na palma da mão
Encontra egressão

Na coroa, vida
Na cara, prisão

Mentira,
Doce foice
Dilacerante de corações



by Val