16 de setembro de 2012

Sem cabimento




Já não cabe em mim espaço para “megalocoisificações”.
Falo dessas “sociomultialienais”,
Estou dando o primeiro passo,
Sei que há para a vaidade um grande espaço, mas o incômodo do mundo afora, hoje se transforma no meu maior cômodo, ocupando assim, as minhas lacunas, traços, laços... 
São novas necessidades; o novo, inundado de urgências existenciais que – no momento – é o meu “néctar”.
Hoje e adiante, ainda que possua várias associações com os muitos “ontens”, de alguma forma, está mudado, maturado.
Pode ser que estacione – à beira de um precipício – esse meu início, mas sendo meu, devo respeitá-lo, abraçá-lo e vivê-lo.
Sendo assim, para melhor prognóstico, devo ocupar – com as pequenas e prazerosas recompensas vivenciais do meu primeiro passo – a sufocante e viciosa “megalocoisa”, seu espaço e – sobretudo – as suas conexões. 
Avante!

by Val