29 de outubro de 2012

Entre o Céu e o Chão, Acordos.


Hoje a curvatura das minhas costas faz com que os meus olhos observem o chão mais adjacente à escuridão que salta dos meus desatinos vivenciais,
Faz com que o travesseiro dos meus lamentos seja os meus joelhos
Porém, diante da repetição de dias encurvados
Mais tarde, quando, diante do obscuro dia, as pedrinhas de areia
Deixarem de ser o único brilho a esperançar a minha espera pelo avesso de mim
A consciência me alertará sobre uma sempre escuridão
Que ao vingar, traz aos céus um brilho intenso,
Capaz de desvirtuar pensamentos penosos e devastadores
Deixando que o auto-julgo se volte para onde estiver luz
Que as minhas costas retomem a sua flexão “habitual”,
Comum aos dias de repetição que fazem valer a pena caminhar.
É assim, entre o céu e o chão, 
Acordos entre a Vida e Eu.


by Val Costa Pinho

(Expressão "faz com que" , de acordo com Prof. Cláudio Moreno "...escolha livre, aprovada pela tradição culta ao longo dos séculos")