31 de outubro de 2012

Ó poeminha




Ó poeminha, 
Caminha, 
Caminha 
Já é noitinha 
Deix'eu sonhar

Ó poeminha
Corre, depressa
Não é receio
De a noite ao ir
Deixar meus sonhos
Nalgum Lugar

Pois sou a dos sonhos
De tu também
Perto do sol ou do luar
 
É que me vem o primeiro bocejo
Deita poeminha
Caminha quentinha

Deix'eu sonhar

Valha-me sorte
De serdes o próprio sonho
o meu poemar


by Val Costa Pinho
Imagem: Silvi Hei Ilustraciones