9 de abril de 2013

Bênçãos vindas de uma caverna improvisada




Uma menina escondida por detrás de grandes pedregulhos
Eram como rochas que a protegiam de pessoas más; monstros do armário, homens do saco, bichos-papões... E cicatrizes que ela obtivera devido a tantas quedas
Creio até hoje existirem chagas abertas em si
Ainda assim, tantas outras foram curadas

Ali em sua divina caverna, com vista para o céu
Havia uma menina pedindo a Deus uma viagem, uma eterna viagem
A espera se apressava devido a sua falta de adaptação
Com o tempo passando
As pedras foram retiradas para novas construções,
A caverna fora desfeita
Porém, deu-se o início de uma eterna viagem de alma e corpo

Deus lhe deu o inominável
Alguns o chamam de amor

A menina da caverna não entendia essa coisa, nem o porquê dela existir
Às vezes doía não ter mais a caverna, 
Às vezes era insuportável olhar as pedras no caminho e não serem mais as mesmas que lhe serviam de abrigo

Por não saber o que era o amor
A menina abandonou o seu Deus
Mas Ele nunca a deixou em paz
Ele era a própria Paz

E por mais que ela Lhe virasse as costas
Ele a cobria, se fazendo a própria caverna perdida que ela tanto sentira falta

No dia do grito de dor, eu estava lá...
Foi tão forte e arrebatador
Ela aprendera com a dor, finalmente, o que era o amor
E nunca mais esqueceu Aquele socorro, Aquela presença...

Eu estava lá até o momento de vê-la partir
Dando lugar a uma íntegra e bondosa mulher
Deixando os demônios mais febris evaporarem
Deixando o medo ser dilacerado pelo tempo
E o seu Deus ser acolhido por cada poro do seu corpo

Surgia uma nova caverna
Feita de todas as pedras que a fizera cair um dia
Talvez a construção de um vivaz edifício
Afinal, nada, exatamente nada, é difícil quando Ele existe

E reluz como o mais vivo e brilhante Sol
A mais cheia e iluminada Lua
O mais intenso e infinito Mar
O essencial Ar e a mais fértil e magnaníma Terra

A isso dou o nome de benção

Benção
Sem a necessidade de quaisquer exaltações
Era assim que a menina desejava viajar eternamente
Durante o templo do Seu Deus
Que é o templo da vida

Feridas, dores, cicatrizes, sofrimento, força, cura;
Ótimos cuidadores; amores, paixões, alegrias, decepções;
Experiência, conhecimento, pedras no caminho, paciência, fé...

Como essa mulher conheceria o seu Deus sem estas tidas bênçãos?

by Val Costa Pinho 
Imagem: Semiotic Apocalypse