9 de abril de 2013

Coisas do Platônico



Então perguntei para uma sábia:
 [...] Existe nesse pouco de reciprocidade alguma chance de aproveitar esse pouco?
 Não (respondeu a sábia)

Então perguntei para o meu coração:
 Escutou o que ela acabou de falar?
 Não, escutei o tiro de um canhão, surdou-me até a alma (respondeu ele)

Então perguntei à minha razão:
 O que fazer com o pouco que jamais poderei aproveitar?
 Ela, sempre “impoluta”, me respondeu:
 Se atente a reciprocidade e não a quantidade oferecida
 Mas a sábia disse “não”, escutou?

 E você, se alimentará da surdez por quanto tempo? Até os seus olhos já não são os mesmos... Todo “não” é um ponto de partida para um “sim”...
 Dona Razão, a sábia achou que eu fosse mais inteligente!

 Me responda, Dona "menos inteligente": o que você faria ao encontrar com um pouco de água no fundo do poço depois de uma semana caminhando no deserto, com sede? Esqueça o pouco; a água é o mais importante... Outra questão: Não esquecer que a emoção e eu, somos parte de você. Sorte sua, esse coração ser uma bomba inofensiva para mim. Ainda assim, escute-me e Siga-o! 

by Val Costa Pinho
Imagem: Google imagens