17 de maio de 2013

Na tentativa de ler você


Você é do jeito meio sem jeito de chegar, mas quando chega toma conta do lugar sem uma palavra pronunciar
Talvez o brilho no sorriso ou no olhar
Talvez a feição, fina, meiga
Guarda um mistério que retina quando se perde querendo encontrar em algum canto algo para saborear
Talvez palavras bobas mas bem elaboradas, discurso sem lógica, filosofia encontrada apenas em pensamentos afins
Conversa com alguns, e se perde em alguns que pensa não se perde em você também
Deixa que a noite passe sabendo que poderia ter encontrado o que queria se os pés não se acorrentassem ao medo de dizer apenas “olá”
Então é isso, não sei muito sobre você, mas esse seu jeito assim, solto
De quem vem sempre da lua, ou do fundo do oceano, deserto, Maracá
É o enigma, que do jeito que sou, não vou tentar desvendar...
Espelhos!! Nunca sei do que ou com quem estou falando.

by Val Costa Pinho