13 de outubro de 2013

Perseverança


Ara a terra a pisar
Os reis nem aviaram
Um dizer de compaixão
Teus dedos assim em carne
Ficarão
É viva a vida também é
O destino está nas mãos
Mas os pés descalços acham-se impotentes
Anda que a terra afofa o costume
E a dor há de passar
E todo o resto
Reis e a moléstia dos atrasos
Que assolam as vestes do teu pensamento
E mais tarde
Pés e mãos soltos
Sarados do conforto da perseverança
É só o que vem depois do furacão
De poeira e miséria
Bonança avessa
É ater a vista
Na direção do rei em si
E assim seguir...

by Val Costa Pinho